quarta-feira, 27 de agosto de 2014

VOOS COLORIDOS












Saudade de voar por esse universo...
Colorir o branco da geada em versos,
Aquecer a manhã com poesia luzente;
Recém saída do forno feito pão quente.

Povoar imaginário com voos coloridos...
Manchar azul do céu com ipês floridos,
O verde da grama com flores rasteiras;
Vermelhas, amarelas, rosas na floreira.

Na brincadeira da querida primavera...
Esquecer cores frias que ainda impera;
E voar como voa borboleta tão faceira,
Beijando o vento em suavidade certeira.

Mas hoje, a madrugada vai ser fria...
Lá vem mais uma manhã de inverno,
Logo liberto as asas em que hiberno;
E voo mais alto em plena luz do dia.

Meri Viero