sexta-feira, 1 de agosto de 2014

MÁGICA FELICIDADE

Meus pés não se incomodam com as pedras,
Estão mornas pelo sol que acordou tão cedo;
Meu olhar desvenda as belezas sem segredo,
E no cantar dos pássaros as notas perfeitas.

Me deixo levar suavemente pelo amigo vento,
Que acalma o meu coração e o deixa  sereno;
E o mal nessa hora é um mundo tão pequeno,
Inimaginável até mesmo por meu pensamento.

Sou parte do instante agora presa sem saudade,
Nas réstias desenhadas nas folhas das árvores;
Nas borboletas que sonham sonhos multicores,
Posso sentir o beijo fresco da mágica felicidade.

Meri Viero