sexta-feira, 18 de julho de 2014

ALMA ENLUARADA

O olhar olha de lado
É a  alma enluarada
Por um vício tentado
Poesia  embriagada

Sorvida pelo coração
Que poeta  tão ávido
Procurando atenção
Aos versos  grávidos

Que na  noite nascem
Arrebentando cordão
Para que  os enlacem
Venturosa inspiração

Meri Viero