sábado, 8 de fevereiro de 2014

ESPELHO D'ÁGUA

Na madrugada quente o carro segue pelas ruas...
Adentra avenidas, bairros, e a quinze agora vazia,
E no céu o pontilhado de estrelas admiram a lua;
Menina voluntariosa logo será outra vez cheia.

A calmaria do silêncio entrecortado pelo barulho,
De um som até que baixo para um motor pesado;
Faz os pensamentos se encherem de orgulho,
Pelas belas imagens que seguem devagar pelo lago.

Ah! Que belo espelho d'água se forma ante o olhar,
Em imagens que se fundem em mundos paralelos;
No verde escuro em bela paisagem noturna a espelhar,
No vento fresco da noite a beijar  a face e os cabelos.

A vida quase para nesse instante e tudo fica guardado,
E a mágica tão fugaz permanece no coração como tesouro;
Deus nós dá tanto, momentos que valem mais que ouro,
E todos os dias humildemente nos resta dizer, obrigado!

Meri Viero